Carta 01: O que pensar de uma máquina de teletransporte?


Bom, todos vocês devem conhecer ou pelo menos já ouviram falar da máquina de teletransporte, certo?


Imagina que bacana, conseguirmos entrar em uma máquina, que nos fizesse, em um piscar de olhos, aparecer em outro lugar do outro lado do mundo!

Mas, toda essa maravilha precisa de uma explicação, certo? Isso realmente é possível? Quais as dificuldades desse processo, o que alguns estudos indicam, e qual o motivo de ainda não conseguirmos nos teletransportar nos dias de hoje?

Assim, precisamos começar com a primeira questão.


O que seria uma máquina de teletransporte?

De forma simples e resumida, podemos compreender a máquina como um equipamento responsável por transferir matéria de um lugar para outro.

Claro, assim fica muito simplista, mas não deixa de ser a realidade. Agora, quando paramos para realmente observar a frase, será que é tão simplista assim? Quando percebemos a complexidade entre transferir matéria entre duas máquinas em dois lugares diferentes no mundo, começamos a refletir certas situações.


O que a física entende com isso?

A ciência nos mostra que não há uma lei da física que permita a clonagem de matéria, ou seja, para fazermos com que algo entre em uma máquina e saia em outra, o processo seria mais ou menos da seguinte forma:

01 – Colocamos o objeto a ser teletransportado na máquina;

02 – A máquina “copia” o objeto, como um scanner;

03 – O objeto é destruído, e replicado nas exatas mesmas condições no destino do teletransporte.

Mas, como assim? Morreríamos ao sermos teletransportados, e uma cópia nossa apareceria no destino em questão?

Mesmo que seja uma cópia exata, com as mesmas lembranças e pensamentos, essa cópia ainda seria eu?

Realmente, essas dúvidas e pensamentos filosóficos são inevitáveis quando pensamos na máquina de teletransporte, e muitos paradoxos são criados com isso. Uma das maneiras de tentar descrever este paradoxo, é a conhecida história a seguir:


O Barco de Teseu

Um barco de madeira sempre fica no mesmo porto, onde ocorrem muitas tempestades!

A cada tempestade, uma tábua desse barco é quebrada, e após o fim das chuvas, um funcionário do porto é responsável por realizar a troca da tábua, colocando uma nova.

Porém, com o passar do tempo e das diversas tempestades, todas as tábuas do barco foram trocadas, nos deixando com uma certa dúvida...

O barco que está ancorado no porto, ainda é o mesmo, agora que todas as tábuas mudaram?

Para ajudá-los na reflexão. Pense que o funcionário responsável por trocar as tábuas do barco foi cuidadoso o suficiente em guardar todas as tábuas antigas. E com a troca da última tábua, o mesmo conseguiu posicionar todas juntas, e assim, remontar o barco original.

Agora, o porto contém dois barcos, qual é o novo, e qual é o original?

Conseguiram entender o paradoxo e as dúvidas intelectuais e filosóficas que partem disso tudo?

O teletransporte é como a história de Teseu, onde nós humanos somos o barco. Será que a cópia realmente é meu “eu” original?

Possui meus sentimentos, lembranças, ambições, sonhos e interesses?

Sou eu, ou não sou eu no destino escolhido na máquina?

A maior diferença da história de Teseu para o paradoxo do teletransporte é: Nós temos consciência. Podemos pensar e refletir sobre o ocorrido, e causar essas diversas dúvidas sobre meu “eu” original ou minha cópia.

Mesmo copiando todos os átomos e replicado nas mesmas exatas condições, quem sairia do outro lado do mundo?

Bom, infelizmente ainda não sabemos as respostas para todas essas dúvidas, mas a realidade é essa, e cabe a nós refletirmos sobre o que acreditamos, e não só o que realmente seja a máquina de teletransporte e seus paradoxos, mas também, o que e quem realmente somos nós.



Agradecimento e Aprofundamento

Pessoal, quero deixar aqui meu grande agradecimento ao Pedro Loos e ao seu canal do Youtube “Ciência Todo Dia”, a carta de hoje se baseou em um de seus vídeos, e sei que podemos aprender muito com ele e com sua nobre caminhada de também compartilhar conhecimento!


Quem ainda tem interesse em conhecer um pouco mais sobre o paradoxo e a máquina de teletransporte, aprofundem o conhecimento, começando com o vídeo dele abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=2LqqyxmEWnY







As informações contidas na carta são relacionadas as interpretações do autor, assim, não se concretizando como conhecimento único imutável, e sendo cabível de novas e diferentes interpretações.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo