Carta 04: Você conhece a curva de juros do Brasil?

Bom, quando pensamos no mundo da economia, das finanças e dos investimentos (mais precisamente, nos investimentos de renda fixa), existe algo que impacta e muito na forma como vamos investir e como podemos esperar nossos lucros, ou evitar possíveis prejuízos. Um dos principais fatores que mexem com nossas taxas cobradas pelos investimentos, é a famosa Curva de Juros.



Mas enfim, o que é a Curva de Juros?

Nada mais é do que as taxas que serão pagas pelos títulos em questão, ou melhor, qual será o retorno exigido pelo credor ao emprestar seu dinheiro!

Vamos pensar, por exemplo, no Tesouro Direto, instituição onde a população pode emprestar dinheiro para o governo, e o mesmo paga uma taxa, para que o credor receba seu capital acrescentado de juros.


Agora, o valor dos juros é a taxa acordada na hora do investimento, e a mesma pode mudar por diversos fatores, como:

Risco: Quanto mais arriscado o investimento, maior a taxa para o credor aceitar emprestar seu capital;

Prazo: Quanto maior o tempo do investimento, maior a taxa.

Política Monetária/Economia: As decisões políticas, BACEN (Banco Central), reuniões do COPOM (Comitê de Política Monetária), e afins, também impactam nas curvas de juros!


E como isso acontece na prática?

Pensando no panorama geral, quem decide as taxas que serão negociadas é o próprio mercado, e isso vêm das negociações de mercados futuros, em outras palavras, das expectativas do mercado para um futuro de curto, médio e longo prazo.

Ou seja, quando a economia está crescendo, a expectativa é a de que tudo vai melhorar e as coisas tendem a “girar sozinhas”, existe uma tendência de a curva de juros cair, e os títulos públicos pagarem menos prêmios (taxas) para os credores interessados. Já quando os juros ficam baixos, as empresas conseguem, por exemplo, empréstimos com juros menores, pegam mais dinheiro emprestado para seus negócios, e assim, um ciclo se cria (taxas altas não são bons momentos para empréstimos e créditos, por exemplo. Mas ótimos para alguns investimentos).

Então dessa forma, é criada uma curva de juros, que pode tanto subir como cair, e mesmo que a tendência seja sempre subir de acordo com o prazo do investimento, o inverso pode ocorrer, de acordo com as expectativas do futuro econômico do país.

Logo, um investimento em título público tem a segurança do governo, e rentabiliza como uma renda fixa (já sabemos o quanto iremos receber no momento do investimento), porém, não podemos esquecer que a curva de juros impacta as novas taxas que surgirão!


Exemplos: Investimento de 03 anos com a meta de R$1.000.

Invisto R$766 em um título público que paga 10% ao ano (consigo chegar em R$1.000 em três anos). Porém, caso a curva de juros suba para 12% ao ano, não preciso mais de R$766, apenas com R$728 eu já consigo chegar na minha meta no mesmo tempo!

Lado bom, vou receber a quantia esperada de todas as formas.

Lado ruim, caso eu tenha investido com a taxa em 10%, assim que ela subiu, meu título se desvalorizou... Ninguém vai querer um título como o meu, se no mercado estão com uma taxa melhor, certo? (Esse é o risco, se realmente compreendê-lo como um).

Pensando dessa forma, existem alguns termos que podemos compreender melhor agora!


Abertura e Fechamento da Curva de Juros

Quando a curva de juros está abrindo, é significado de que os juros estão aumentando, e com isso, os títulos estão diminuindo de valor. Quando as curvas estão fechando, significa que os juros estão diminuindo, e assim, os títulos estão aumentando de valor.

Exatamente como no exemplo citado acima!


Mas, como eu acompanho essas oscilações?

No próprio site do Tesouro Direto é possível acompanhar o histórico de preços e taxas de todos os títulos que estão sendo negociados, e assim, compreender o que ocorreu para acontecer certas oscilações, quando as mesmas ocorreram, e qual o acontecimento na data que fez com que tal oscilação se concretizasse, ou melhor, o que pode ter originado uma expectativa diferente no mercado, que fez com que ocorresse a abertura ou o fechamento da curva de juros!


Resumo Final

Sim, os investimentos em títulos públicos são seguros (o risco é o governo não nos pagar), sim, caso você queira sair de forma antecipada do título, vendendo-o no mercado secundário, existe a chance de ocorrer um deságio, ou seja, você ter prejuízo, pois os juros podem ter subido, e seu título desvalorizado, e não, não conseguimos prever com nenhuma exatidão como as curvas estarão amanhã ou no próximo mês, quem dirá nos próximos anos, mas é a expectativa do mercado, da política e da economia do país, quem dita e influencia a curva de juros!

Por fim, esperamos que todos tenham compreendido um pouco mais sobre a curva de juros, o porquê de isto estar impactando tanto na nossa economia atual que ainda sofre com os impactos da pandemia, e que claro, já tenham começado a investir de forma consciente!


Agradecimentos e Aprofundamentos:

Agradeço ao mundo das finanças e da economia, que por mais complexo e conturbado que seja, não deixa de ser interessante por completo!

Aos curiosos e interessados pelo tema, segue abaixo um vídeo que foi usado para estudos para esta carta, e deixo aqui meu grande agradecimento ao nosso querido Samy Dana e a muito didática Priscila Yazbek, que compartilharam conosco todo esse conhecimento!


https://www.youtube.com/watch?v=oTtMk2XdM4Y


Esperamos que todos tenham gostado e aprendido algo novo com a carta de hoje, e os esperamos ansiosamente para o próximo domingo!

Um grade abraço a todos os eternos aprendizes!




As informações passadas na carta são relacionadas as interpretações do autor, assim, não se concretizando como conhecimento único imutável, e sendo cabível de novas e diferentes interpretações.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo